sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Dinâmica: Curta e compartilhe!

Achei oportuno essa dinâmica e acredito que ela possa ser desenvolvida em todas as idades. késia, minha querida, vou copiar, curtir e compartilhar, pois achei  dez...  Curta você também e compartilhe!! Aproveite e faça uma visita ao blog jardim da Boa Nova, pois tem muita coisa boa!

Dinâmica: Curta e compartilhe!
Amigos, há alguns dias nossa irmã Kelly visitou o blog e pediu uma dinâmica sobre internet (mundo de hoje) para jovens. É com muito carinho que venho partilhar esta dinâmica que brotou de uma conversa com uma jovem muito amada, Flavinha, que além de parceira na catequese, é como uma filha em outra missão que o Senhor nos confiou: a de conduzir um grupo de jovens aos caminhos de Deus.

Espero que a dinâmica atenda a necessidade da Kelly, mas, se você também tem alguma sugestão, sinta-se à vontade para partilhar e ajudar a tornar o encontro de nossa irmã ainda mais divertido e produtivo.

Acredito que, quando se fala em internet, para muitos, a primeira palavra que vem ao pensamento é o FACEBOOK. Logo, pensamos em uma brincadeira que utilize elementos com os quais eles já estão familiarizados. Chamamos então a dinâmica de:
“Curta e Compartilhe”.

Prepare adesivos ou cartões semelhante ao ícone usado pelo Facebook para indicar que você curtiu algo. No início do encontro convide os jovens a fazer daquele lugar uma grande sala virtual onde vamos encontrar nossos amigos, curti-los e compartilhar algo sobre a vida deles. Coloque uma música bem animada e, durante a música, eles devem se cumprimentar, desejar as boas vindas e, de forma bem espontânea, distribuir os adesivos de “CURTIR” entre os amigos. Você pode preparar vários adesivos, de modo que todos sintam-se à vontade para curtir quantos amigos quiserem.

Ao final desse momento, em círculo, fazem uma breve partilha desta acolhida, contando quantos adesivos cada um recebeu, se gostou de curtir e ser curtido pelo amigo, etc.


Após a acolhida, vem a segunda parte da dinâmica, o momento de compartilhar. Cada jovem vai ao centro do círculo e os amigos devem compartilhar algo sobre ele, uma curiosidade, um fato engraçado, um testemunho, etc. Nesse momento, o catequista deve estar atento para que ninguém se sinta constrangido e para que não aconteçam comentários desagradáveis. É importante respeitar as particularidades de cada jovem. Depois da partilha, o catequista deve fazer uma reflexão com os jovens sobre este momento. Perguntar: Como se sentiram ao ouvirem seus amigos falando sobre você? É mais fácil falar sobre o outro ou ouvir os que as pessoas tem a dizer a seu respeito? Alguma vez, já passaram por esta experiência de estar diante de pessoas falando sobre você?

Aos poucos, ir conduzindo o diálogo para a realidade dos jovens nos dias de hoje, perguntando: Como costumam se relacionar com os amigos? Que papel a internet tem nas nossas vidas e nos relacionamentos nos dias de hoje?

Provavelmente, durante esta brincadeira, os amigos compartilharam somente coisas boas uns dos outros, perguntar se na internet isso também acontece ou se, algumas vezes divulgamos notícias desagradáveis sobre nossos amigos... enfim, o catequista deve guiar o diálogo e a reflexão de acordo com a realidade do seu grupo.

Para concluir esse momento, deixo como sugestão o seguinte texto:

As Três Peneiras 
(Sócrates)

Um homem foi ao encontro de Sócrates levando ao filósofo uma informação que julgava de seu interesse:

- Quero contar-te uma coisa a respeito de um amigo teu!

- Espera um momento – disse Sócrates – Antes de contar-me, quero saber se fizeste passar essa informação pelas três peneiras.

- Três peneiras? Que queres dizer?

- Vamos peneirar aquilo que quer me dizer. Devemos sempre usar as três peneiras. Se não as conheces, presta bem atenção. A primeira é a peneira da VERDADE. Tens certeza de que isso que queres dizer-me é verdade?

- Bem, foi o que ouvi outros contarem. Não sei exatamente se éverdade.

- A segunda peneira é a da BONDADE. Com certeza, deves ter passado a informação pela peneira da bondade. Ou não?

Envergonhado, o homem respondeu:

- Devo confessar que não.

- A terceira peneira é a da UTILIDADE. Pensaste bem se é útil o que vieste falar a respeito do meu amigo?

- Útil? Na verdade, não.

- Então, disse-lhe o sábio, se o que queres contar-me não éverdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.


Que possamos usar sempre estas peneiras em nossas vidas,
tendo o cuidado de fazer bom uso desta ferramenta
chamada internet.

Na nossa catequese, como abordamos os mandamentos?

Deixo pra vocês, esse material de Inês Broshuis, retirado do Livro: A Bíblia na Catequese-editora Paulinas. Muito bom! Recomendo!!

Filhos meus,
Eu sou seu Deus que criou vocês por amor, que quer ver vocês livres e felizes.
Sou a fonte da vida e chamo vocês para virem e beberem desta fonte. Encontrarão esta fonte observando os meus mandamentos.

1. Lembrem-se de que meu amor vale mais que dinheiro, poder e prazer. Estes são ídolos que enganam. Não se curvem diante deles. Se corresponderem ao meu amor, a minha benção acompanhará vocês, seus filhos, seus netos e bisnetos.

2. Usem o meu nome somente para promover a vida e defender a justiça, e vocês recolherão os seus frutos.

3. Criei vocês para a vida plena. Colaborem com minha obra de criação. Guardem dias e momentos para celebrar o meu amor por vocês,para lembrar meus benefícios e minhas palavras. Colaborem com minha obra de criação por meio de seu trabalho e criatividade. Mas guardem também dias e momentos para o descanso, o lazer, a festa e a convivência. Garantam estes direitos a todos.

4. Filhos, respeitem seus pais, também quando forem idosos. Pais, respeitem seus filhos. Esposos, respeitem-se mutuamente. Assim viverão felizes e a vida se prolongará e se tornará plena.

5. Respeitem e promovam a vida. Sejam agentes de transformação diante das ameaças à vida: fome, drogas, aborto,guerra, pena de morte, violência, injustiça... Promovam a verdadeira vida pela vivência do amor, do perdão, da misericórdia. Preservem a natureza, geradora de vida para todos os seres.

6 e 9. Respeitem-se mutuamente, vivendo o amor e a sexualidade com responsabilidade. respeitem os laços matrimoniais. O amor de uns para com os outros é o maior por vocês. Vivam esse amor como dom divino e força criadora de vida nova.

7 e 10. Sejam solidários. Saibam partilhar dons e bens. Evitem acumulação de bens materiais. Todos têm direito à propriedade. Por isso, este direito deve ser garantido a todos, e deve ser respeitado. os bens públicos sejam usados em benefício do povo que é seu legítimo dono. Assim se evitará que alguns cheguem a cobiçar o que não lhes pertence.

8. Sejam um povo honesto. Evitem: julgamento leviano, calúnias e maldição, mentira e falsidade, corrupção,manipulação, juramento falso, impunidade diante da injustiça.

Eu lhes dou estes mandamentos para que todos tenham vida, e a tenham em abundância!

Fazendo a diferença



Tem gente que faz mesmo a diferença. Tem gente que já deve nascer com uma proposta de vida definida por Deus. Um compromisso doce de passar adiante o seu desejo de acreditar em um mundo melhor. Algo como um manual debaixo dos braços para não esquecer nenhum lembrete divino” (Geisa Araujo, cronista)

Li estas palavras on-line e refletindo sobre elas veio-me à mente as múltiplas ações sociais de que tenho conhecimento e cujos resultados educam, reconstroem caminhos, traz esperança onde antes só havia tristeza e desalento.
Nasceriam essas pessoas já pré determinadas a fazer o bem? Teriam essas pessoas um olhar mas sensível, capazes de distinguir o real do imaginário, seres corajosos que enfrentam as adversidades e se tornam cúmplices de um mundo imaginário muito além do mundo injusto e cruel de hoje? Seriam essas pessoas escolhidas por Deus ou teriam se deixado escolher?
Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”.( Albert Einstein)


A história de Bruno me emocionou.
Bruno é um jovem, hoje com 25 anos, que conheci através de um programa jornalístico da TV.( Encontro)
Um rapaz que segundo a reportagem, desde muito jovem já sabia reconhecer através de um olhar mais observador os caminhos a percorrer em busca de mudanças num mundo tão conturbado e recheado de injustiças e diferenças sociais gritantes.
Aos 17 anos, um dia voltando para casa, numa dessas noites frias, teve um encontro que mudou sua vida e a de muitas pessoas.
Um andarilho passou por ele. Seu olhar diferenciado, a compaixão ou, sei lá, a mão de Deus o fez abordar o homem, que no seu abandono e já desacreditando das pessoas, garantiu-lhe que tudo estava bem. O rapaz deu mais alguns passos à frente, mas algo lhe dizia para voltar e insistir. Sentia que o desconhecido precisava de ajuda.
Voltou, insistiu, alimentou-o e ofereceu seu próprio agasalho.
O acaso, ( será?) proporcionou-lhe novos encontros,outras oportunidades de ajuda e solidariedade. A proximidade levou-o ao conhecimento de que atrás daquele abandono e pobreza havia um drama muito maior.
Aquele senhor era dependente químico e cansado da vida que levava, do abandono e marginalização da sociedade, naquele primeiro encontro estava disposto a dar cabo da própria vida,
A atenção , o amor e cuidado com que fora tratado pelo jovem o fez sentir-se amado, valorizado e o fez acreditar que com ajuda de boas pessoas teria forças para se desvencilhar do vício. Sim , ele podia! Ainda existia alguem que se importava com ele!
Resumindo, o andarilho está recuperado. Toda a família estruturada.
Bruno hoje busca recursos para manter o abrigo que construiu para tratar de dependentes químicos.
Quero chegar aos 80 anos, disse Bruno, olhar para trás e ter a certeza que dei minha colaboração em prol da vida”.
Bruno é “gente que faz a diferença”
Podemos não ser tão capacitados quanto Bruno para realizar grandes prodígios. Mas façamos um esforço. Deixemo-nos “ser escolhidos” por Deus para amenizar a dor do próximo.
Pequenas ações do dia a dia podem fazer a diferença!
Saibamos ser compassivos, mansos e humildes de coração!

Quando Jesus diz: "Se alguém quer ser o primeiro, que seja o último de todos e o servo de todos"Mc9, 35"
 está nos fazendo um convite a vivenciar a sua Palavra no nosso cotidiano, chamando-nos a tomar posição  a favor do direito e da justiça a serviço de todos, principalmente dos empobrecidos sem ambicionar honrarias. Nossa prática religiosa não deve servir de trampolim para o prestígio, mas um sinal de nosso compromisso com o Reino de Deus. Assim agindo, estamos a caminho de "fazer a diferença"




ENCONTRO DE CATEQUESE: Iluminar a partir de Cristo-


DINÂMICA: A VELA E O COPO

Objetivo: O catequizando deve compreender que a Palavra de Deus quando abafada ou escondida não produz frutos
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 10 minutos.
Material: Uma vela, fósforos e um copo de vidro transparente.
Descrição: Colocar uma vela sobre a mesa e acendê-la cuidadosamente. Deixar que se queime por alguns segundos.
Em seguida, pegar um copo transparente e, cuidadosamente e lentamente, colocar sobre a vela. Aos poucos, ela se apagará.
Deixá-la assim e pedir que os catequizandos falem o que sentiram ou observaram, diante da experiência.
Patilhar as opiniões com o grupo. Em seguida relacionar o texto com a seguinte passagem do evangelho:

A Candeia: Lc 8, 16-18

16 “Ninguém acende uma candeia e a esconde num jarro ou a coloca debaixo de uma cama. Ao contrário, coloca-a num lugar apropriado, de modo que os que entram possam ver a luz. 17 Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz. 18 Portanto, considerem atentamente como vocês estão ouvindo. A quem tiver, mais lhe será dado; de quem não tiver, até o que pensa que tem lhe será tirado”.

Reflexão:

O conhecimento da Palavra de Deus é muito importante, mas não é suficiente para que uma pessoa se torne verdadeiramente cristã. O importante é assumir os valores que estão presentes nela, de modo que a Palavra de Deus se torne vida das pessoas, e assim elas testemunhem esses valores para todos e manifestem o amor de Deus para com seus filhos e filhas. Jesus nos faz uma grave advertência no Evangelho de hoje: “Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis!” Existem doutores na Palavra de Deus, mas que fazem da Palavra de Deus apenas objeto de conhecimento. É claro que o conhecimento da Palavra de Deus é importante, mas devemos ser doutores na sua vivência.

Vivenciando a palavra:
O discípulo deve iluminar o mundo. Não basta apenas ouvir a Palavra . É preciso testemunhá-la através de nosso agir, ver e pensar. O testemunho de vida condiz com transformação e traz crescimento espiritual. Mas só podemos iluminar se nos deixamos “iluminar pela Luz de Cristo”. É em Cristo que nos abastecemos. Faz-se necessário acender a cada dia nossa própria lâmpada na Lâmpada de Cristo. A minha luz só ilumina se for reflexo da Luz de Cristo.

Guardar para a vida:
 
Cuidado: Evangelizar não é “doutrinar”
Não devemos nos iludir com a ideia de que apenas porque estamos repetindo as palavras de Cristo estamos iluminando. Iluminar significa aceitar totalmente Cristo e seus ensinamentos dando testemunhos de nossa vivência. .
( “Vede pois como ouvis”.(Lc 8, 18) , diz Jesus, fazendo uma advertência aos cristãos.
É preciso também”aprimorar” nossa escuta para que através dela sejamos aprendizes e que nossa aprendizagem nos leve a fazer a experiência de Cristo em nossa vida.Não basta apenas escutar. Precisamos sair do comodismo e estagnação e partir para a ação que transforma.
A boa escuta da Palavra é o caminho para crescer na fé. Se falta a escuta , a fé definha e morre.”

Conversando e respondendo:
E nós, como estamos nos comportando diante da Palara de Deus?
  • estamos apenas escutando sem se aprofundar no seu significado?
  • Procuramos dar testemunho de nossa vivência cristã?
  • Durante a homilia na celebração aos domingos, tenho aprimorado minha“escuta” ao ouvir a Palavra de Deus?
  • Minhas ações em casa ou escola condizem com os ensinamentos de Jesus?
  • Sou lâmpada escondida ou Lâmpada acesa sobre o candeeiro?
ORAÇÃO FINAL
Senhor, fazei com que eu não me preocupe apenas com informações biblicas que se tornam vazias quando não assimiladas em sua grandeza e profundidade.
Que as Tuas Palavras possam chegar produtivas até mim e com a graça do Teu Santo Espírito, produzir transformações extensivas a todos que me rodeiam. E que através delas eu possa guiar meus irmãos e irmãs a fim de participar da construção de Teu Reino. Que eu possa antes de falar de Ti, revelar Tua presença em mim. Amém.

O que já temos em comum

Todos nós já ouvimos falar daquela situação em que, diante de um copo com água pela metade, algumas pessoas dizem que se trata de um copo meio cheio e outras reclamam que é um copo meio vazio. Isso é uma espécie de mini parábola, que costumamos usar para mostrar como alguns estão sempre prontos a ver uma questão de forma positiva enquanto outros só conseguem ver o lado negativo. Isso acontece muito nos relacionamentos humanos. Todos nós temos defeitos e qualidades. Mas há pessoas que tendem a ver e destacar só os defeitos e outras que buscam em primeiro lugar as qualidades. É claro que as que enxergam as qualidades costumam ser mais felizes e ter mais amigos.

Ver algo de bom no outro desperta nele um desejo de reciprocidade. Por exemplo; uma vez eu estava na fila do banco e uma senhora que estava na minha frente me olhou e disse que achava muito bonito o brinco que eu estava usando; imediatamente olhei bem para ela e procurei algo bom para elogiar também; gostei dos óculos que ela usava e disse que era um modele muito bonito, e aí começou uma conversa amigável que fez o tempo passar mais depressa e de modo mais agradável enquanto nós duas esperávamos o atendimento.

No diálogo ecumênico, essa disposição de ver em primeiro lugar o que a outra Igreja tem de positivo é um excelente começo de relacionamento, que produz um clima favorável e leva o outro lado a um desejo de retribuir a gentileza. Para isso não temos que ser fingidos (eu de fato gostei dos óculos da senhora que estava na fila!) porque só com sinceridade a coisa funciona direito. 

A esse respeito nossa Igreja tem reafirmado em várias situações que “os bens presentes nos outros cristãos podem contribuir para a edificação dos católicos” (Ut Unum Sint 48). Mas em primeiro lugar destacamos os ‘bens” que temos em comum como, por exemplo: a maior parte da Bíblia, o amor ao evangelho, muitas doutrinas que todos herdaram do tempo antes da Reforma, o interesse em obras de misericórdia, uma ética baseada na lei de Deus... 

E a catequese poderia falar bem dos irmãos de outras Igrejas? Isso não seria arriscado, contraproducente? Temos que apresentar lealmente a fé vivida por esses irmãos. Isso já estava na Exortação Apostólica Catechesi Tradendae, de João Paulo II: “... é sobremaneira importante fazer uma apresentação correta e leal de outras Igrejas e comunidades eclesiais, das quais o Espírito de Cristo não recusa servir-se como de meios de salvação; e entre os elementos e os bens tomados em conjunto, com que a Igreja se edifica e é vivificada, alguns e até muitos e muito importantes podem existir fora dos limites visíveis da Igreja Católica.”(CT 32)

Poderíamos então destacar dois bons motivos para que a catequese não tenha receio de reconhecer o que há de bom nos irmãos de outras Igrejas: a) é isso que a nossa Igreja manda fazer e aí ela demonstra ter grandeza e maturidade; b) esse tipo de atitude prepara melhor os nossos catequizandos para o diálogo já que, sabendo ver o melhor do outro, correm menos risco de entrar em brigas desgastantes.

Quando , em todas as Igrejas, todos tiverem esse tipo de atitude estaremos dando aos que não creem um impactante testemunho do amor capaz de curar muitos tipos de feridas.     

Therezinha Cruz 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Encontro de Catequese: Deus criou o Anjo da Guarda

Deus que sempre existiu, criou tudo que existe.
Criou as criaturas visíveis, que têm matéria: o sol, a terra, as plantas, os animais, o homem.
Mas também criou as criaturas invisíveis: os...

 Os anjos são os mensageiros de Deus.
São criaturas puramente espirituais, isto é, não têm corpo, só espírito.

Sua inteligência é intuitiva, não precisam raciocinar. Que beleza! não precisam estudar!

O Catecismo da Igreja Católica nos diz:

"Anjos são criaturas puramente espirituais, são dotados, de inteligência e de vontade; são criaturas pessoais e imortais. Superam em perfeição todas as criaturas visíveis" (nº 330)

Se não têm corpo, não podem ter asas! nem voar!
Foram criados, mas são imortais, isto é, têm começo, mas não têm fim.

Se não têm corpo, também não podem nascer um dos outros, como os homens.
Deus criou cada anjo que existe. Um completamente diferente do outro!
E o próprio Deus nos revelou que existem milhares e milhares de anjos.

Mas não existem:- "anjos da sorte", "anjo da paz", "anjo da fortuna", "número do anjo".
Esses nós encontramos em bancas de jornais e shoppings e não na Bíblia. Eles são fruto de mentes fantasiosas. É como acreditar em fadinhas, duendes, bicho papão, papai noel, saci pererê, entendeu?
Os anjos dos quais a Bíblia nos fala vivem na presença de Deus, obedecendo, amando e servindo a seu Criador, sem cessar.

A Bíblia também nos diz que alguns anjos não quiseram obedecer a Deus. Por isso se revoltaram contra o próprio Criador. Esses são os anjos maus, que foram afastados de Deus, e vivem no inferno, eternamente longe de Deus. Esses anjos querem que nós também desobedeçamos a Deus. Por inveja, eles querem nos afastar de Deus.

Mas você já sabe como é grande o amor de Deus e como Ele cuida de cada um de nós.
Por isso Deus dá um anjo pra cada homem que nasce.

É O ANJO DA GUARDA!

Você não o vê, mas o seu anjo está sempre junto de você.
Deus o colocou junto de voê pra protegê-lo de todas as tentaçõe e perigos e pra guiá-lo pelo caminho do bem, da verdade e do amor.
Lembre-se sempre de pedir ajuda ao seu Anjo da Guarda. Ele está atento e sempre disposto a lhe socorrer.

Vamos aprender a oração do Anjo da Guarda?

Vamos celebrar


Catequista: meditemos juntos o Salmo 90, que nos fala da presença dos Anjos junto a nós:



1. Tu que habitas sob a proteção do Altíssimo, que moras à sombra do Onipotente,
2. dize ao Senhor: Sois meu refúgio e minha cidadela, meu Deus, em que eu confio.
3. É ele quem te livrará do laço do caçador, e da peste perniciosa.
4. Ele te cobrirá com suas plumas, sob suas asas encontrarás refúgio. Sua fidelidade te será um escudo de proteção.
5. Tu não temerás os terrores noturnos, nem a flecha que voa à luz do dia,
6. nem a peste que se propaga nas trevas, nem o mal que grassa ao meio-dia.
7. Caiam mil homens à tua esquerda e dez mil à tua direita, tu não serás atingido.
8. Porém verás com teus próprios olhos, contemplarás o castigo dos pecadores,
9. porque o Senhor é teu refúgio. Escolheste, por asilo, o Altíssimo.
10. Nenhum mal te atingirá, nenhum flagelo chegará à tua tenda,
11. porque aos seus anjos ele mandou que te guardem em todos os teus caminhos. 
12. Eles te sustentarão em suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.
13. Sobre serpente e víbora andarás, calcarás aos pés o leão e o dragão.
14. Pois que se uniu a mim, eu o livrarei; e o protegerei, pois conhece o meu nome.
15. Quando me invocar, eu o atenderei; na tribulação estarei com ele. Hei de livrá-lo e o cobrirei de glória.
16. Será favorecido de longos dias, e mostrar-lhe-ei a minha salvação.



Atividades



1) Na Bíblia encontramos o nome de três arcanjos, mensageiros de Deus. Procure as citações e descobrindo o nome deles e que missão receberam naquele contexto:
- Tobias 12, 1-15
- Lucas 1, 26-33
- Daniel 12, 1



2) Os anjos vivem na presença de Deus. Nós também devemos buscar esta presença e para isso, precisamos muito da oração. Verifique como anda sua vida de oração com o "teste" abaixo:



a) Rezo todos os dias ao me levantar e antes de deitar?
( )SIM ( )ÀS VEZES ( )NÃO



b) Tenho participado da missa dominical?
( )SIM ( )ÀS VEZES ( )NÃO



c) Agradeço a Deus o alimento e tudo o que tenho?
( )SIM ( )ÀS VEZES ( )NÃO



d) Sempre lembro de Deus quando estou feliz?
( )SIM ( )ÀS VEZES ( )NÃO



e) Converso com Deus nos meus momentos difíceis?
( )SIM ( )ÀS VEZES ( )NÃO



Agora, conte 2 pontos para cada resposta "SIM", 1 ponto para cada resposta "ÀS VEZES" e nenhum ponto para as respostas "NÃO". Some o total e leia abaixo a mensagem correspondente ao nº de pontos que você fez:



10 a 7 pontos - Continue crescendo cada vez mais na presença de Deus
6 a 3 pontos - Bom, mas pode melhorar mais, não é?
2 a 0 pontos - Lembre-se: assim como precisamos de alimento para o corpo, nossa vida espiritual precisa da amizade com Deus. Que tal se esforçar pra valer?

#Dica: Catequistas essa ideia de encontro retirei do blog da Catequista Sheila, muito bom não é? E para complementar o encontro, tive a ideia de fazer com a turma uma anjinho de papel, é muito fácil e dependendo da idade das crianças elas conseguirão faze-lo sozinhas, veja o modelo:


Encontro de Catequese: As Bem Aventuranças

As duas primeiras atividades a seguir foram retiradas do blog Catequese Kids da Catequista Laysa, confira:

Primavera é vida nova em Cristo

Enfim o inverno se foi e chegou a Primavera que de acordo  com o calendário começou oficialmente ontem,   dia 23 de setembro.
Na Primavera tudo se transforma. Revitaliza. É a Natureza dando-se a oportunidade  de refazer  o acinzentado, o triste do inverno. É a oportunidade de recomeçar.
As sementes que se encontravam antes adormecidas, já se encontram prontas para germinar e posteriormente florir. E através do processo de polinização inicia-se um novo ciclo. Novas plantas são geradas.
É a primavera sem dúvida uma bela estação. Não só pela beleza das flores e o verde vicejante. Ou o céu azul e o sol brilhante. Tudo isso é realmente belo e até romântico.
Mas o que realmente encanta na primavera é a possibilidade de recomeço. É a Natureza sempre nos dando lições de vida.
Quem nunca sentiu a necessidade de recomeçar?
Assim como na Natureza, nossa vida também está sempre em processo de transformação. Caímos. Levantamos. E isso exige esforço, otimismo, dedicação. È preciso também coragem para nunca desistir. Aliar fé e esperança juntas, extraindo lições de experiências anteriores para não recair no erro. Recomeçar é também nunca desistir.
Recomeçar, porque nossa vida é inconstante. Os desafios são muitos. Maturidade e humildade são importantes para recomeçar deixando as marcas do passado para trás. Esquecendo mágoas. Perdoando.
Quantas vezes na vida nossa alma entra em conflito. Frustrações tomam o lugar do entusiasmo. Perde-se a vontade de lançar-se a novos projetos. Tudo parece inútil, sem sentido. Frio e cinzento. Como no inverno.
Mas vamos maturando idéias, absorvendo informações, construindo conhecimentos, mudando nossa postura diante dos fatos. É o frio da alma se esvaindo. A vontade latente de recomeçar. E embora ainda possa haver lembranças do inverno, a esperança começa a brotar.
Como as sementes em fase de germinação são lançadas na terra, nossas idéias são também disseminadas no tempo. E assim construímos a sociedade. E porque não dizer o mundo em que vivemos. Afinal ele é fruto das nossas idéias disseminadas em conjunto.
Que nesta primavera possamos refletir sobre o tipo de “sementes” que estamos disseminando ao nosso redor.
Estamos dispostos à pratica de ações  que possam contribuir para um planeta mais habitável?
Que nesta primavera nossa mente possa florescer e dar muitos frutos.
Primavera...tempo de florir...tempo de recomeçar... tempo de renascer...

A LENDA DO AMOR


Era Uma vez o AMOR...
O amor morava numa casa assoalhada
de estrelas e toda enfeitada de sóis.
Mas não havia luz na casa do Amor,
Porque a luz é o próprio Amor.

E, uma vez,
O Amor queria uma casa mais linda para si.
- Que estranha mania esta do Amor!

E fez a terra.
E na terra fez a carne.
E na carne soprou a vida.
E na vida soprou a imagem de Sua semelhança.
E a chamou de homem.
E dentro do peito do homem o Amor construiu a Sua casa,
Pequenina mas palpitante,
Irrequieta, insatisfeita, como o próprio Amor.

E o Amor foi morar no coração do homem
E coube todinho lá dentro.
Porque o coração do homem foi feito do Infinito.

Uma vez...
O homem ficou com inveja do Amor.
Queria para si a casa do Amor, só para si.
Queria para si a felicidade do Amor, como se o Amor pudesse viver só.
E o homem sentiu uma fome torturante.
E comeu....
O Amor foi-se embora do coração do homem.
O homem começou a encher o seu coração:
Encheu-o com todas as riquezas da terra,
E ainda ficou vazio.
E o homem triste, derramou suor para ganhar a comida.
(Ele sempre tinha fome).
E continuava com o coração vazio.

Uma vez...
Resolveu repartir o seu coração inútil com as criaturas da terra.
O Amor soube.
Vestiu-se de carne e veio, também, receber o coração do homem.
Mas o homem reconheceu o Amor e o pregou numa cruz.

E continuou a derramar o suor para ganhar a comida.

O Amor, então, teve uma idéia:
Vestiu-se de comida, se disfarçou de Pão e ficou quietinho...
Quando o homem faminto ingeriu a comida
O Amor voltou à sua casa, no coração do homem.
E o coração do homem se encheu de plenitude.


(FONTE)

Exame de consciência


Para você fazer uma boa confissão é preciso examinar a sua consciência, com a luz do Espírito Santo, com coragem, e nada a esconder do sacerdote, que ali representa o próprio Jesus.

1 :: Amo a Deus mais do que as coisas, as pessoas, os meus programas?

Ou será que eu tenho adorado deuses falsos, como o prazer do sexo, antes ou fora do casamento, o prazer da gula, o orgulho de aparecer, a vaidade de me exibir, de querer ser "o bom", etc.?

2 :: Eu tenho, contra a lei de Deus, buscado poder, conhecimento, riquezas, soluções para meus problemas em coisas proibidas, como: horóscopos, mapa astral, leitura de cartas, búzios, tarôs, pirâmides, cristas, espiritismo, macumba, candomblé, magia negra, invocação dos mortos, leitura das mãos, etc.? Tenho cultivado superstições? Figas, amuletos, duendes, gnomos e coisas parecidas? Procuro ouvir músicas que me influenciam provocando alienação, violência, desejo de sexo, rebeldia e depravação?

3 :: Eu rezo, confio em Deus, procuro a Igreja, participo da Santa Missa nos domingos? Eu me confesso? Comungo?

4 :: Eu leio os evangelhos, a Palavra viva de Jesus, ou será que Ele é um desconhecido para mim?

5 :: Eu respeito, amo e defendo Deus, Nossa Senhora, os Anjos, os Santos, as coisas sagradas, ou será que sou um blasfemador que age como um inimigo de Jesus?

6 :: Eu amo, honro, ajudo os meus pais, ou meus irmãos, a minha família? Ou será que eu sou "um problema a mais" dentro da minha casa? Eu faço os meus pais chorarem? Eu sou um filho que só sabe exigir e exigir? Eu minto e sou fingido com eles?

Vivo o mandamento: "Honrar pai e mãe"?

7 :: Como vai o meu namoro? Faço da minha garota um objeto de prazer para mim? Como um cigarro que eu fumo e jogo a "bita" fora? Ela (e) é uma "pessoa" com a qual quero conviver ou é apenas uma "coisa" para me dar prazer?

8 :: Eu vivo a vida sexual antes do casamento, fora do plano de Deus? Eu peco por pensamentos, palavras atos, quanto a esse assunto: Masturbação, revistas pornográficas, filmes, desfiles eróticos, roupas provocantes? Vivo o homossexualismo?

9 :: Eu respeito meu corpo e a minha saúde que são dons de Deus? Ou será que eu destruo o meu corpo, que é o templo do Espírito Santo, com a prostituição, com as drogas, as aventuras de alto risco, brigas, violências, provocações, etc.?

10 :: Sou honesto? Ou será que tapeio os outros? Engano meus pais? Pego dinheiro escondido deles? Será que eu roubei algo de alguém, mesmo que seja algo sem muito valor? Já devolvi?

11 :: Fiz mal para alguém? Feri alguém por palavras, pensamentos, atitudes, tapas, com armas? Neguei o meu perdão a alguém? Desejei vingança? Tenho ódio de alguém?

12 :: Eu falo mal dos outros? Vivo fofocando, destruindo a honra e o bom nome das pessoas? Sou caluniador e mexeriqueiro? Vivo julgando e condenando aos outros? Sou compassivo, paciente, manso? Sei perdoar, como Jesus manda?

13 :: Sou humilde, simples, prestativo, amigo de verdade?

14 :: Vivo a caridade, sei sofrer para ajudar a quem precisa de mim?

Partilho o que tenho com os irmãos ou sou egoísta?

15 :: Sou desapegado das coisas materiais, do dinheiro?

16 :: Sou guloso, vivo só para comer, ou como para viver?

17 :: Eu bebo sem controle? Deixo que o álcool destrua minha vida e desgrace a minha família?

18 :: Sou preguiçoso? Não trabalho direito? Deixo todas as minhas coisas jogadas e mal-arrumadas, se estragando?

19 :: Sinto raiva de alguém é não perdôo o mal que me fizeram? Desejo vingança contra alguém? Sou maldoso?

20:: Sou invejoso? Ciumento? Vivo desejando o mal para os outros?

Trecho do livro: Jovem, levanta-te

(FONTE)

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

PENTATEUCO, OS PRIMEIROS LIVROS DA BÍBLIA


Penta = Cinco 
Pentateuco Palavra grega que significa 
5 livros 
Teuco = rolo, livro 

São os primeiros livros da Bíblia. Na Bíblia hebraica (judaica) o Pentateuco é chamado de “a Lei Torá”, porque é o fundamento da religião judaica. É o livro canônico (a Lei) dos judeus. 

HISTÓRIA DO PENTATEUCO: 

Na história do Pentateuco encontramos as grandes linhas da fundação do reino de Deus na terra. A formação do mundo, da humanidade e do povo escolhido por Deus. As leis contidas foram sendo escritas durante cinco séculos, reformulando, adaptando e atualizando tradições mais antigas, que vieram desde os tempos de Moisés. 

Mostra a Revelação gradativa de Deus aos homens. Deus se revelando aos patriarcas, libertando seu povo da escravidão, alimentando seu povo, conduzindo-o e criando leis. 

LIVROS DO PENTATEUCO: 

1. Gênesis - Como a Providência Divina preparou desde o princípio dos tempos, um povo especial para ser o primeiro núcleo de Seu Reino. 
Gênesis = Começo, nascimento. Fala do surgimento do mundo, da história e do povo de Deus 

Gên 1-11 - A criação do mundo e do homem por Deus 
- A história dos homens e do processo humano dominado pelo pecado. 
Gên 12-36 - História dos Patriarcas 

Gên 37-50 - História de José 

2. Êxodo - Como de fato o Reino foi fundado. Conta como Deus libertou e formar seu povo. 
Êxodo = Saída. Começa narrando a saída dos hebreus da terra do Egito, onde eram escravos. 
A mensagem do Êxodo é uma prefiguração da mensagem do Novo Testamento. 

 Êxodo - Páscoa dos hebreus, simbolismo do batismo, passagem da escravidão do Egito para a terra Prometida (O Reino de Deus estabelecido na terra); Deus liberta seu povo. 
Novo Testamento: Páscoa de Jesus, Deus na Pessoa de Jesus, liberta o homem da escravidão do pecado para uma vida nova. Estabelece uma nova e plena Aliança. 

3. Levítico - Formação de um povo santo. O povo toma conhecimento de sua natureza “santa”. 
Levítico = provém do nome Levi, a tribo de Israel que foi escolhida por Deus para exercer a função sacerdotal no meio do seu povo. 
Mensagem Central: “Sêde santos como vosso Deus é Santo” (Lev 19, 2). 

4. Números - O povo a caminho das Terra Prometida, toma conhecimento de sua organização. 
Números = Chama-se assim porque começa com um grande recenseamento do povo hebreu no deserto. Fala sobre a divisão das 12 tribos de Israel; o tabernáculo, onde ficava guardada a arca da aliança; as funções de cada um; a escolha dos levitas e sua missão de cuidar do tabernáculo; Aarão como sacerdote. 

A caminhada do povo até a terra prometida: nos fala que todo o povo de deu é peregrino e caminha para a terra prometida por Deus (a glória). A organização: mostra que, dentro do povo de Deus, as funções devem ser repartidas, mas com um único objetivo: realizar o projeto de Deus. A arca da aliança no centro: indica que, nessa caminhada, Deus está sempre presente no meio de seu povo. 

5. Deuteronômio - O povo tomou conhecimento de seu espírito baseado no amor e na obediência. A palavra grega deuteronômio significa: segunda lei. Lei de Moisés, segundo às necessidades do povo de Israel. 

Idéia Central: 

Israel viverá feliz na terra se forem fiel à aliança com Deus; se for infiel, terá a desgraça e acabará perdendo a vida. 
Mensagem: Mostra que o comportamento fundamental do homem para com Deus é o amor com todo o ser (Deut. 6, 4-9). 
“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a alma e de todas as tuas forças”. 

2. OS LIVROS HISTÓRICOS 

INTRODUÇÃO: 

Nos livros históricos encontramos a história do povo de Deus, desde a entrada na terra prometida até próximo a época de Jesus. Mostra-nos as relações entre Deus e os homens, através dos acontecimentos. 

Podemos dividir em três grupos: 
a. História deuteronomista: Josué, Juízes, Samuel, Reis. 
b. História do cronista: Crônicas 1 e 2, Esdras e Neemias. 
c. História de Pessoas como modelos de fé: Macabeus, Rute, Tobias, Judite, Ester. 

HISTÓRIA DO DEUTERONOMISTA: 

1. Josué, Juízes, Samuel, Reis - Mostraram que a história de Israel depende da atitude que o povo toma na aliança com Deus: “Se o povo é fiel à aliança, Deus lhe concede a bênção (saúde, felicidade). Se o povo é infiel, atrai para si a maldição (fracasso, doença, miséria). Esta idéia faz parte faz parte da história deuteronomista. 

Josué - Deus libertou o povo do Egito para ser livre na Terra prometida. Mas o povo teria que conquistar a Terra que Deus lhe dera. Deus concede o dom, mas não viola a liberdade e nem dispensa o esforço do homem para assumí-la em seu viver. Deus exige que o homem busque e conquiste o dom que Ele concede. Deus quer a colaboração do homem. 

Juízes - Depois das morte de Josué, as tribos se dispersaram, o povo começa a adorar deuses, consequentemente perde a liberdade e se torna escravo dos ídolos. No sofrimento toma consciência, se arrepende e suplica para que Deus lhe liberte. Deus faz surgir um juiz que reúne o povo e o conduz à liberdade. 

Samuel - O último juiz. Este sagrou o primeiro rei - Saul. Estabelecimento da monarquia sob Saul e Davi. 

Afirma que qualquer autoridade que não obedece a Deus e não serve o povo é ilegítima e má, pois ocupa o lugar de Deus para explorar e oprimir o povo. Toda autoridade vem de Deus. 

Reis - Mensagem Central: “O rei deve ser fiel a Deus e governar com sabedoria e justiça, servindo o povo que pertence a Deus”. Mas os reis são sempre infiéis e fazem o mal diante do Senhor (praticam idolatria, oprimem o povo, perseguem os profetas). Por isso o Reino do Norte (Israel) e o Reino do Sul (Judá) são levados à ruína. 

O templo e os profetas tem um papel importante nessa época. O templo - lugar da reunião do povo com Deus. Os Profetas - guardiões da consciência do povo, e os críticos da ação política dos reis. 

HISTÓRIA DO CRONISTA: 

2. Esdras e Neemias - Procuram dar as normas básicas para a sobrevivência e a organização do povo de Deus depois do exílio. 
Esdras - sacerdote conhecedor da Lei de Moisés 
Neemias - Leigo corajoso. 
As bases da reforma de Esdras e Neemias são os alicerces do judaísmo. 
Crônicas 1 e 2 - Para fundamentar essas normas, eles repensam a própria história do povo, desde o início. Com o objetivo de dirigir a atenção do povo para a esperança de Israel que se reúne: no templo e no Messias. 
Templo: onde Deus estabeleceu sua morada. 
Messias: que há de vir e cumprir as promessas feitas aos patriarcas e profetas. 

HISTÓRIA DE PESSOAS COMO MODELOS DE FÉ: 

3. Macabeus 1 e 2, Rute, Tobias, Judite, Ester 
Se apresentaram como modelos de vivência da fé diante de situações difíceis, seja de vida pessoal (Rute, Tobias), como nacional (Judite, Ester, Macabeus). 

Macabeus - Mostraram a resistência heróica de um grupo diante da dominação grega, que impõe a sua culta e religião ao povo de Israel. 

Rute - Uma história emocionante do amor de Deus, que quer gente de todas as nações formando a sua família, o seu povo. O amor de Deus é para todos. 

Tobias - A finalidade do livro é estimular e fortalecer a fidelidade e a confiança do povo nas mãos de Deus, nos valores de Israel e no seu Deus. 

Judite - É um convite à coragem. Leva o povo a louvar o verdadeiro Deus que vence os ídolos opressores.

Ester - Deus dá força e coragem e derrota o orgulho humano, fazendo vencer os oprimidos 


(FONTE)