sábado, 29 de junho de 2013

Celebração com o Tema: Fé

Motivação: Crer em Deus significa também crer no mundo criado, crer na vida, na beleza e na felicidade.
Símbolo: Cartazes com imagens que expressem demonstrações de fé.
Objetivo: Mostrar a importância de fundamentar a própria fé para respeitar maneiras diferentes de crer, buscando o diálogo.
Catequista: Creio em Deus Pai todo poderoso, criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio que há um só Deus e Pai, que vela sobre nós, cujas obras manifestam seu amor. Creio que Deus é o Pai das misericórdias e de toda consolação.
Catequizandos: Creio que Deus nos escolheu antes da fundação do mundo para sermos santos e irrepreensíveis diante dele no amor (Ef 1,4).
Leitor 1: Creio que o mundo foi criado para a glória de Deus. Ele criou com sabedoria e com amor todas as coisas, criou um mundo ordenado e bom. Creio que Deus mantém e sustenta toda a criação. Creio que aquele que nos escolheu desde o seio materno nos chamou por sua graça e houve por bem revelar em nós o seu Filho, para que o anunciássemos (Gl 1,15-16).
Catequizandos: Siga a justiça e a fé, o amor e a paz com aqueles que invocam de coração puro o nome do Senhor (2Tm 2,22).
Leitor 2: Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai, antes de todos os séculos. Creio que Jesus Cristo é Deus de Deus, luz da luz, é Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, e que por ele todas as coisas foram feitas. Creio no nome do Filho Único de Deus. Creio que nós vimos a sua glória, glória que ele possui junto ao Pai, cheio de graça e verdade.
Catequizandos: Justificados pela fé, estamos em paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 5,1).
Leitor 3: Creio em Jesus Cristo, Filho amado, que por nós e para nossa salvação desceu dos céus e se encarnou pelo poder do Espírito Santo. Creio que a Palavra Eterna do Pai se encarnou sem perder a natureza divina, quando assumiu a natureza humana. Creio que os que de antemão ele conheceu, esses também predestinou a serem conformes à imagem do seu Filho (Rm 8,29).
Catequizandos: A meta é que todos juntos nos encontremos unidos na mesma fé e no conhecimento do Filho de Deus (Ef 4,13).
Leitor 4: Creio em Jesus Cristo, que por nós foi crucificado, padeceu e foi sepultado. Creio que Jesus ofereceu-se livremente pela nossa salvação e, pela sua obediência até a morte de cruz, Jesus realizou sua missão. Creio que ele nos salvou e nos chamou a uma vocação santa, não em virtude de nossas obras, mas em virtude de seu próprio desígnio de graça que nos foi dada em Cristo Jesus, desde a eternidade (1Tm 1,9).
Catequizandos: Permaneçam alicerçados e firmes na fé, sem se deixarem afastar da esperança no Evangelho que vocês ouviram (Cl 1,23).
Leitor 5: Creio que Jesus ressuscitou ao terceiro dia e manifesta a glória do Pai, que ele é o dom de Deus para a humanidade. Creio que Jesus é glorificado pelo Pai, que o ressuscita dos mortos.
Catequizandos: Creio que Jesus foi ressuscitado pelo poder de Deus e para a glória do Pai. Creio que Jesus Cristo nos julgou dignos de confiança, tomando-nos para o seu serviço (1Tm 1,12).
Leitor 6: Creio em Jesus Cristo que subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. Creio que a ascensão de Cristo marca a entrada da humanidade de Jesus no domínio de Deus, de onde voltará. Creio em Jesus Cristo que de novo virá, em sua glória, para julgar os vivos e os mortos e que o seu Reino não terá fim. Creio que, servos de Jesus Cristo, somos escolhidos para anunciar o Evangelho de Deus (1Cor 1,27).
Catequizandos: A fé é um modo de já possuir aquilo que se espera, é um meio de conhecer realidades que não se veem (Hb 11,1).
Leitor 7: Creio que Jesus Cristo nos procede no Reino glorioso do Pai, para que nós vivamos na esperança de estarmos um dia eternamente com ele. Creio que, tendo entrado um vez por todas no céu, Jesus intercede por nós como mediador e nos garante o Espírito Santo.
Catequizandos: Creio naquele que é poderoso para realizar por nós além do que pedimos ou pensamos, segundo o poder que já opera em nós (Ef 3,20).
Leitor 8: Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida e procede do Pai e do Filho e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado. Creio que, a cada um, Deus concedeu uma manifestação do Espírito para a utilidade de todos (1Cor 12,7).
Catequizandos: Sua fé salvou você. Siga em paz! (Lc 7,50).
Leitor 9: Creio na Igreja uma, porque tem um só Senhor, confessa uma só fé, nasce de um só batismo, forma um só corpo, vivificado por um só Espírito em vista de uma única esperança, no fim da qual serão superadas todas as divisões.
Catequizandos: As Igrejas se fortaleciam na fé, e a cada dia cresciam em número (At 16,5).
Leitor 10: Creio que professamos um só batismo para remissão dos pecados e que esperamos a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Creio na graça de Deus atuando em nós, creio na união, no perdão, na reconciliação e na fraternidade.
Catequizandos: Esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé (1Jo 5,4).

Catequista: Creio que aquele que começou em nós a boa obra há de levá-la à perfeição até o dia de Jesus Cristo, porque aquele que nos chamou é fiel (1Ts 5,24).
Autor: Padre Antonio  Francisco Bohn

Jornada Mundial da Juventude

Ola amadinhos tudo bem?
A Jornada Mundial da Juventude está chegando ...
Então decidi postar aqui algumas curiosidades sobre a JMJ 2013.



Tudo começou com um encontro promovido pelo Papa João Paulo II em 1984. Foi um encontro de amor, sonhado por Deus e abraçado pelos jovens. Vozes que precisavam ser ouvidas e um coração pronto para acolhê-las.

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), como foi denominada a partir de 1985, continua a mostrar ao mundo o testemunho de uma fé viva, transformadora e a mostrar o rosto de Cristo em cada jovem.

São eles, os jovens, os protagonistas desse grande encontro de fé, esperança e unidade. A JMJ tem como objetivo principal dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo, mas é verdade também que, através deles, o ‘rosto’ jovem de Cristo se mostra ao mundo.

A Jornada Mundial da Juventude, que se realiza anualmente nas dioceses de todo o mundo, prevê a cada 2 ou 3 anos um encontro internacional dos jovens com o Papa, que dura aproximadamente uma semana. A última edição internacional da JMJ foi realizada em agosto de 2011, na cidade de Madri, na Espanha, e reuniu mais de 190 países.

A XXVIII Jornada Mundial da Juventude será realizada de 23 a 28 de julho de 2013 na cidade do Rio de Janeiro e tem como lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19).


As JMJs tem sua origem em grandes encontros com os jovens celebrados pelo Papa João Paulo II em Roma. O Encontro Internacional da Juventude, por ocasião do Ano Santo da Redenção aconteceu em 1984, na Praça São Pedro, no Vaticano. Foi lá que o Papa entregou aos jovens a Cruz que se tornaria um dos principais símbolos da JMJ, conhecida como a Cruz da Jornada.

O ano seguinte, 1985, foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas. Em março houve outro encontro internacional de jovens no Vaticano e no mesmo ano o Papa anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude.

A primeira JMJ foi diocesana, em Roma, no ano de 1986. Seguiram-se os encontros mundiais: em Buenos Aires (Argentina – 1987) - com a participação de 1 milhão de jovens; em Santiago de Compostela (Espanha – 1989) - 600 mil; em Czestochowa (Polônia – 1991) - 1,5 milhão; em Denver (Estados Unidos – 1993) - 500 mil; em Manila (Filipinas – 1995) – 4 milhões; em Paris (França -1997) – 1 milhão; em Roma (Itália – 2000) – 2 milhões, em Toronto (Canadá – 2002) – 800 mil; em Colônia (Alemanha – 2005) – 1 milhão; em Sidney (Austrália – 2008) – 500 mil; e em Madri (Espanha – 2011) – 2 milhões.

Além do fato de estar em outro país, com seus encantos turísticos, a participação na Jornada requer um corpo preparado para a peregrinação e um coração aberto para as maravilhas que Deus tem reservado para cada um. São catequeses, testemunhos, partilhas, exemplos de amor ao próximo e à Igreja, festivais de música e atividades culturais. Enfim, um encontro de corações que creem, movidos pela mesma esperança de que a fraternidade na diversidade é possível.


Logo postarei mais curiosidades sobre este evento tão lindo para nossos jovens e que acontecerá em Breve aqui no nosso BRASIL.

Beijos carinhosos e Abraços abençoados...
Denyse Prado.
catequista.
 

I Nordestão de Catequese

Para obter mais informações procure o coordenador da sua paróquia ou (arqui)diocese . Caso você seja o coordenador entre em contato com os coordenadores regionais para receber o material e ter detalhes do encontro: 


NE 1 – Maria Erivan Ferreira da Silvaerivanfsilva@hotmail.com
NE 2 – Pe. Elison Silva dos Santoscatequeseregionalnordeste2@gmail.com
NE 3 – Ir. Luciene Macedolucatequista@gmail.com
NE 4 – Ir. Maria das Graças Sabinomgsabino2011@gmail.com
NE 5 – Joana Meneses Mendesjoanamm@terra.com.br
Comunicação Joseilton Luz                    nordestaodecatequese@gmail.com

Regionais
Nordeste 1 – Ceará
Nordeste 2 – Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte
Nordeste 3 – Bahia e Sergipe
Nordeste 4 – Piauí
Nordeste 5 – Maranhão
 

São João Batista, rogai por todos nós!

“Ah, São João, São João do carneirinho, você é tão bonzinho...” É este o São João do imaginário popular, colega de Santo Antônio, o “casamenteiro” e de São Pedro, o “chaveiro do céu”.
João foi, antes de tudo, um homem querido por Deus: “Houve um homem enviado por Deus. Seu nome era João” (Jo 1,6); um homem de Deus, que fazia recordar as coisas do céu.
Viveu em função de Deus, no deserto. Não era João do carneirinho, bonzinho; era duro como pedra, alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre, vestia-se com pêlos de camelo e um cinturão de couro.
Jesus fez-lhe um elogio rasgado: “Quem fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Um homem vestido de roupas finas? Que fostes ver? Um profeta? Eu vos afirmo que sim, e mais que um profeta... Entre os nascidos de mulher, não surgiu nenhum maior do que João, o Batista” (Mt 11,7-11).
Sua missão: preparar a chegada do Messias, despertando e agitando o coração de Israel. Homem de fogo, inconformado com a mediocridade de uma religião arrumadinha!
Foi também um homem que soube relativizar-se: “Eu não sou o Messias, sou apenas a voz que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor!” (cf. Jo 1,19-30).
Levar Deus a sério custou caro a João.
O profeta tem sempre a incômoda missão de recordar que o homem não é a medida de todas as coisas: nem tudo é lícito, nem tudo é permitido, nem tudo é de acordo com a vontade de Deus!
Herodes mandou prender o profeta. Foi na prisão, que ele deu o mais belo testemunho sobre Jesus: havia anunciado um Messias juiz, vingador de Deus e, agora, ouvia as notícias sobre Jesus: que era manso, humilde, misericordioso... Não era bem o Messias que ele havia imaginado. Chamou dois discípulos e os enviou a Jesus: “És aquele que deve vir, ou devemos ainda esperar outro?” E Jesus responde: “Dizei a João: os coxos andam, os cegos recuperam a vista e os pobres são evangelizados” – Eram os sinais do messias... E completou: “Felizes os que não se escandalizam por Minha causa” (cf. Lc 7,18-23).
João, também ele, teve que deixar sua própria visão de Messias, para acolher Jesus, o Messias como Deus mandou.. Foi sua última conversão, seu último testemunho. Agora, podia morrer em paz.
E morreu, vítima da fraqueza de um rei bêbado, da maldade de uma mulher maquiavélica e da leviandade de uma menina vulgar (cf. Mc 6,17-29).
João é grande porque soube fazer-se servo; João será sempre um exemplo para os cristãos... Por isso “depois de morto, ele ainda fala” (Hb 11,4).

D. Henrique Soares da Costa
 

São João Batista, rogai por nós!


Hoje é dia de muita festa para nós e no Céu!
Com muita alegria, celebramos o nascimento de São João Batista. 
Santo que  é o único a ter o aniversário natalício recordado pela liturgia, juntamente com a Santíssima Virgem Maria,.

O último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações encorajando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”).

 Como nos ensinam as Sagradas Escirturas: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mateus 3,11).



Veja aqui também: http://www.catequesenanet.com.br/

sábado, 1 de junho de 2013

Muito Obrigado Visitantes!!!

MUITO OBRIGADO A TODOS.
OBRIGADO PELOS MAIS DE 65 MIL ACESSOS EM 1 ANO E 3 MESES DE CRIAÇÃO.

Festa de Corpus Christi em Ibicaraí

Foi com muita alegria que em mais um ano celebramos a festa de Corpus Christi em nossa comunidade. As 14 horas nosso querido Monsenhor Sebastião expôs o Santíssimo Sacramento para que pudéssemos realizar a nossa adoração. Foi um momento único e de bastante alegria e emoção.
Nossa Paróquia que não é pequena ficou repleta de fiéis que vieram para louvar e adorar ao Nosso Senhor.
Colocamos nossos pedidos durante a nossa adoração e em especial pelos nossos jovens. Logo após a adoração realizou-se a Celebração Eucarística presidida pelo nosso Monsenhor que com 82 anos de força e coragem nos incentiva a cada dia em busca da nossa salvação. Foi uma celebração linda e bem animada. Ao fim da Celebração saímos em procissão com o Santíssimo Sacramento pelas ruas da cidade onde cada canto que o Nosso Senhor passava era uma chuva de graças derramada. Foi feito toda a segurança da procissão pelos policiais da 63ªCIPMI no comando do Major Valdilson Cerqueira que nos dá sempre apoio em todos os nossos eventos. Chegando na nossa paróquia fechamos a festa com a Bênção do Santíssimo Sacramento conduzida pelo nosso Monsenhor.
Confira as fotos da nossa belíssima festa.















Confira mais de nossas fotos no nosso 

Regulamentos do catequista

1º QUANTO A ACOLHIDA

O catequista deverá chegar meia hora antes do início do encontro.

Receber todos os catequizandos com igual atenção, sem demonstrar preferências.

Dialogar com eles sobre suas vidas perguntando o que fizeram durante a semana, como estão se sentindo, ... Não deve ser um "relatório", mas sim uma conversa espontânea, com muita simplicidade.

O ponto de vista do catequizando deve ser respeitado e sua opinião ouvida com muita atenção.

2º QUANTO AO LOCAL DO ENCONTRO

A Bíblia deve ocupar lugar de destaque diante do grupo, usando velas, flores e toalha sempre que possível.
Colocar cartazes e figuras sobre o tema, enfeitando o ambiente para despertar o interesse no assunto. Se possível, trocar os cartazes a cada encontro, para que os catequizandos não percam o interesse neles.

3º QUANTO A LINGUAGEM

A linguagem deverá ser clara, coerente e simples.

Nunca falar em tom infantil, mas naturalmente, com firmeza e simplicidade.

Procurar usar o mesmo vocabulário, usado na realidade dos catequizandos, para que eles possam compreender melhor a mensagem.

Atenção com algumas palavras que costumamos usar. Catequese não é curso, nem escola. Em vez de aula, falar de encontro. Não fazer "provas" nem dar "notas" nem "prêmios e castigos". Enfim, que o relacionamento não seja de "Professor e Aluno".

Essas coisas existem na escola, mas não na catequese, que é o encontro da pessoa com Jesus Cristo e com a Comunidade.

4º QUANTO AO CATEQUISTA INDIVIDUALMENTE

O catequista deverá ter uma pasta, a qual conterá tudo o que é relacionado ao encontro. Esta pasta acompanhara o catequista em todos os encontros, incluindo este regulamento que deverá ficar afixado na mesma.

Haverá uma reunião dos catequistas antes de cada encontro para que possamos entrar em sintonia com Deus.