sábado, 2 de março de 2013

Iniciação a Vida Cristã: caminho da Fé



“Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que tenho vos ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos”(Mt 28,19-20).
Hoje na catequética se fala muito em catecumenato, caminho neo-catecumenal, Iniciação a Vida Cristã, querigma, mistagogia, caminho de iniciação, e por ai vai. O que se sabe é que desde a igreja primitiva se tem uma grande dificuldade no ingresso de novos membros na fé da Igreja. A solução foi encontrada no catecumenato, foi um sucesso, e gerou até o núcleo de criação e desenvolvimento do ano litúrgico que usamos hoje.
Para promover o que o Documento de Aparecida diz: “O encontro pessoal com Jesus Cristo”, é preciso uma iniciação, fazer as pessoas mergulharem nas riquezas e ensinamentos do Evangelho, iniciar com convicção e verdade na vida da comunidade cristã, e assim, fazendo-as participar da vida divina, que são expressas e fundamentadas na participação dos sacramentos.
A palavra “iniciação”, na sua etimologia, vem do latim, “in-ire”, ou seja, ir para dentro, incluir a pessoa ao meio, ingressar, encaminhar. Iniciação é o processo que coloca alguém na condição de entrar num novo estado de vida, numa comunidade. Também a iniciação pode ser compreendida como “intro-ducere” = conduzir para dentro. A iniciação foi adotada e contextualizada pelo cristianismo vindo de correntes não cristãs, onde realmente havia uma verdadeira iniciação no mais profundo e rico sentido que a palavra possui.
As catequeses da iniciação, que eram chamadas de “catequeses mistagógicas”, no início do cristianismo, tinham uma linguagem simples, popular, clara, objetiva, extremamente vivencial, teórica e prática. Os educadores da fé ou catequistas adaptavam o conteúdo da fé a linguagem e as necessidades dos ouvintes, deste modo, estes, ao ouvirem o ensinamento, compreendiam e se tornavam testemunhas do conteúdo apreendido.
Na caminhada da Igreja no momento atual, a iniciação gradativamente vai sendo incorporada, e tem como tarefa principal praticar a mandato missionário de Jesus Cristo, ou seja: fazer verdadeiros discípulos, batizar da Trindade, ensinar (Mt 28,19-20). Realmente, o mandato missionário de Jesus é envio e missão, e é chamado de vocação cristã. Podemos dizer que nele está o fundamento da Iniciação à Vida Cristã, como o agir missionário em resposta ao dinamismo do Espírito, que impulsiona a Criação e nos convida a acolher a Revelação, enviando-nos a anunciar a Boa Nova em todo o mundo.
Existem muitos desafios a serem vencidos, como a indolência do clero, a falta de formação dos catequistas, subsídios deficitários, o medo do novo, descompromisso com o rito, covardia para assumir uma nova roupagem da catequese, corpo mole de muitos, falta de conformidade litúrgica e omissão no acompanhamento da Iniciação à Vida Cristã de todas as partes, inclusive da comunidade. Muitos que estão na frente da Igreja ainda não foram iniciados. Vamos ter que trabalhar muito para colocar esse novo método catequético em funcionamento. Força Catequese.
Encontramo-nos na Eucaristia e na oração.
Seminarista Alex Sandro Serafim

Nenhum comentário:

Postar um comentário