quarta-feira, 24 de outubro de 2012

#Fé II


Fé é conhecimento e confiança. Tem sete características: 

A fé é uma pura dádiva de Deus, que nós obtemos se intensamente a pedirmos; A fé é a força sobrenatural de que necessariamente precisamos para alcançar a salvação; A fé requer a vontade livre e a lucidez do ser humano quando ele se abandona ao convite divino; A fé é absolutamente segura porque Jesus o garante; A fé é incompleta enquanto não se tornar operante no amor; A fé cresce na medida em que escutamos cada vez melhor a Palavra de Deus e permanecemos com Ele, na oração, em vivo intercâmbio; A fé permite-nos já a experiência do alegre antegozo do Céu. 

Muitos afirmam que “crer” é demasiado pouco; eles querem é “saber”. A palavra “crer” tem, no entanto, dois sentidos completamente distintos. Se um pára-quedista, no aeroporto, pergunta ao empregado: «O pára-quedas está corretamente acondicionado?», e este casualmente responder: «Hum, creio que sim...», isso então não lhe bastará; ele quer mesmo saber. Se, todavia, ele tiver pedido a um amigo para acondicionar o pára-quedas, e este lhe responder à mesma pergunta: «Sim, eu pessoalmente encarreguei-me de o fazer. Podes confiar em mim!», o pára-quedista responder-lhe-á então: «Está bem, acredito em ti!» Esta fé é muito mais que “conhecimento”, ela significa “certeza”. E esta é a fé que fez Abraão mudar-se para a Terra Prometida, esta é a fé que fez os mártires perseverarem até à morte, esta é a fé que ainda hoje mantém de pé os cristãos perseguidos. Uma fé que compreende todo o ser humano... [YouCat 21]

Com efeito, a fé cresce quando é vivida como experiência de um amor recebido e é comunicada como experiência de graça e de alegria. (Papa Bento XVI - Porta Fidei)

Nenhum comentário:

Postar um comentário